Ter fetiche é normal; saiba os mais comuns

0

A monotonia no sexo costuma ser entediante, e, para casais, pode até ser motivo de divórcio. Toda relação precisa de uma apimentada de vez em quando para continuar sendo prazerosa e encantadora. Esses prazeres mais específicos são conhecidos como fetiches. Existem vários tipos, e são, em geral, bastante particulares. 

Os fetiches causam excitação e podem ser representados por trajes, objetos ou partes do corpo. Eles não precisam necessariamente, portanto, estar ligados ao ato do sexo. Algumas pessoas se sentem estimuladas, por exemplo, ao verem o parceiro vestindo uma determinada fantasia – mesmo que o sexo, em si, não tenha nada de diferente. 

Ter fetiche é comum, apesar de alguns serem considerados bastante esquisitos. Desde que mantidas as integridades físicas e emocionais, e, claro, o consenso, são extremamente válidos. Eles advêm, segundo especialistas, de experiências pessoais. “Elementos diferentes podem se associar a nossas reações corporais de prazer com a repetição de alguma situação. Dessa forma passamos a gostar ou desgostar de alguma coisa –esta coisa será o fetiche”, diz Oswaldo M. Rodrigues Jr., psicólogo e diretor do Instituto Paulista de Sexualidade (InPaSex), ao UOL VivaBem.

Não é necessário, então, ter vergonha de seus fetiches. O ideal é conversar sobre isso com o parceiro sexual, para que a experiência seja boa para ambas as partes – e essa dica vale para tudo: fetiches, fantasias e até o sexo casual. “Casal que não conversa sobre sexo nunca alcança o patamar máximo de prazer que poderia. Transar sem fantasia cansa. Quem as coloca em prática, tem satisfação por muito mais tempo”, explica o psicólogo Marlon Mateddi, da plataforma Sexo Sem Dúvida, a Universa, do UOL. Também a Universa, a psicanalista e sexóloga Lelah Monteiro sugere: “Saia do cenário ‘o que outro vai achar?’ e tenha clareza daquilo que deseja experimentar. Saiba o que quer e fale com o parceiro sem pretensões. Muita gente não consegue se expressar por conta da timidez e fica achando que o parceiro não toparia, sem nem tentar”.

Tipos de fetiche

Vamos mostrar, agora, tipos comuns de fetiche. Vale ressaltar que um fetiche não precisa estar ligado ao ato do sexo. Quem se entrega ao fetichismo consegue sentir prazer e se masturbar, por exemplo, ao ver um objeto ou um traje, segurá-lo ou até cheirá-lo. 

Pés

O fetiche com pés com certeza é um dos que mais chamam atenção e mais são comentados. Fazer carinho, cheirar, lamber e até chupar o dedão estão entre as preferências de quem é adepto ao fetichismo com essa parte do corpo. Esse fetiche pode ou não incluir sapatos. 

Fantasias

Há quem tenha estímulos sexuais com as mais variadas fantasias: bombeiro, enfermeiro, policial, aeromoça e até cosplays. Para quem tem esse fetiche, não o sexo não necessariamente precisa ser diferente, mas é essencial que o parceiro esteja vestido com algum desses uniformes.

Voyeurismo

A prática de um voyeur é a observação. É alguém que tem muito prazer ao ver alguém nu, fazendo sexo ou não. O ato de observar basta, por exemplo, para que a pessoa chegue ao orgasmo. O contrário também é comum: quem sente prazer em ser observado nu – se exibindo em alguma performance ou simplesmente ser visto de longe por alguém aleatório.

Acessórios

É um leque bem comum de fetiches. Os acessórios que causam estímulo sexual a alguém com fetiche podem ir desde algemas, chicotes ou até coisas comuns do dia a dia. Tudo depende da experiência pessoal. A forma como esses acessórios são usados no sexo ou apenas causam estímulos também varia.

BDSM

É a sigla para bondage, disciplina, dominação, submissão, sadismo e masoquismo. Esses fetiches envolvem jogos ou situações que causem estímulos sexuais. Geralmente são os que mais exigem uma conversa com o parceiro para que sejam feitos de uma forma segura e prazerosa para ambos.

Lugares diferentes

Transar em público, em uma praia, no cinema, no elevador ou em qualquer lugar considerado incomum também pode ser caracterizado como prática de fetichismo. Os estímulos podem ser causados simplesmente pela excitação de estar nesses lugares com o parceiro sexual. 

Comidas

Alimentos também podem ser usados para alguém com esse fetiche. Essa prática pode ser das mais simples, como lambuzar o corpo com chantilly, por exemplo, até a introdução de frutas no canal vaginal – ato que, frise-se, pode ser perigoso. 

Buscando o prazer

Todo tipo de fetiche, como dissemos ao longo do artigo, deve ser feito de forma segura, para garantir um momento agradável de prazer. Há inúmeros fetiches, e é importante que você entenda e procure saber qual é o seu. Experimente coisas novas, converse com seu parceiro e preze pela segurança. Com essa receita você estará pronto para descobrir diversos estímulos sexuais.